.:: Jorge Pereira ::.

"UNIX is basically a simple operating system, but you have to be a genius to understand the simplicity."

Browsing Posts published by jpereira

Linus Torvalds apoia o Lançamento do Windows 7

Em um conferência de Linux no Japão, a Microsoft coloca (de propósito ou não) um ponto de venda do Windows7 em frente ao local. Nosso amigo Linus Torvalds tira uma onda e vai lá “prestigiar” o lançamento.

Fonte da foto.

The windows source code has been released!

Ops! praticamente três meses sem postar nenhuma novidade. Porém não tinha como deixar passar em branco este post… está semana estarei de volta as atividades e compartilhando as novidades!

Perceba que o código e bem tosco, porém divertido! o uso do return com o método void main() foi forçar a barra! :cool:

É uma parodia básica das 100 verdades sobre Chuck Norris.

Richard Stallman

1. Richard Stallman não usa navegadores da web, ele envia um link para um demon que usa o wget para buscar a página e envia-la de volta para ele.

2. Richard Stallman é o único homem vivo que pode pronunciar GNU da maneira que deve ser pronunciada.

3. Richard Stallman não lê páginas da web. Eles escrevem para ele.

4. Algumas pessoas verificam seus computadores em busca de vírus. Vírus verificam seus computadores em busca de Richard Stallman.

5. A barba de Richard Stallman é feita de parêntesis.

6. O sistema nervoso de Richard Stallman é completamente wireless.

7. Richard Stallman escreveu o compilador Deus. O Big Bang do Universo foi a primeiro segfault.

8. Algumas pessoas usam pijamas Linus Torvalds’s para dormir, Linus Torvalds usa pijamas Richard Stallman’s.

9. Richard Stallman uma vez comeu três bifes de 2Kg em uma hora. Ele passou os primeiros 45 minutos codificando uma nova extensão do Emacs elisp.

10. Richard Stallman não tem mãe, ele se codificou sozinho.

11. Richard Stallman criou a singularidade, mas, uma vez que ela geralmente funciona sem conexão à internet, não será visível por mais duas semanas.

12. Richard Stallman não faz wget, Richard Stallman faz wdemands!

13. Richard Stallman não tem nenhum problema usando o emacs. Ele escreveu-o o seu usando suas 4 mãos.

14. Richard Stallman nunca usa chuveiros: ele executa um ‘make clean’.

15. Richard Stallman lançou seu próprio DNA sob a GNU FDL.

Quem por algum motivo não entendeu as piadas acima, fica abaixo alguns links recomendados para a leitura:

Guia Foca
Richard Stallman
Linus Torvalds
GNU

retirado daqui.

Mais de um més sem nenhum POST novo aqui no meu blog. Mais isto e justificável, pois muita coisa aconteceu e vem acontecendo nesses dois últimos meses! Irei escrever um único post envolvendo tais novidades!! :)

  • Casa Nova

Devido a alguns imprevistos e afins surgiu a necessidade de me mudar e estou morando e trabalhando atualmente na famosa “Cidade Maravilhosa”, isto mesmo! Estou desde o último dia 09 de Maio morando no Rio de Janeiro!!

Copacabana, ao fundo o Pão de Açucar!

Copacabana, ao fundo o Pão de Açúcar!

Entardecer em Copacabana...

Entardecer em Copacabana...

Porém não vim para cá como turista e sim para trabalhar, que por sinal trabalho não tem sido outra coisa que tenho me dedicado tanto! O Desafio de trabalhar com novas tecnologias envolvendo TV Digital & Linux embarcado, foi um dos maiores motivos que me fez aceitar o desafio de mudar de cidade, deixar para trás familiares, amigos, minha filhota e minha girl linda!!

  • Brinquedo Novo, Guitarra Fender Squier

Quando mais novo havia tido interesse para aprender a tocar violão e aprendi alguma coisa, só que depois de muito tempo com a vontade retraída em aprender a tocar Guitarra resolvi a algum tempo investir um pouco do tempo livre (tempo livre? O_o)! Consequentemente um amigo comprou uma guitarra e amplificador novo e conversando ele ficou sabendo sobre esta minha vontade desde de guri em aprender a tocar e me vendeu por um valor MUITO legal! Valeu Gustavo! 8)

No pacote veio: Guitarra Fender Squier + Alça + Palhetas + Mochila + Suporte + Amplificador Shelter (Tudo extremamente novo, a guitarra não tem nenhum arranhão e inclusive o Amplificador ainda veio com na caixa original)

No pacote veio: Guitarra Fender Squier + Alça + Palhetas + Mochila + Suporte + Amplificador Shelter (Tudo extremamente novo, a guitarra não tem nenhum arranhão e inclusive o Amplificador ainda veio na caixa original)

  • Tatoo : Finalizado Braço esquerdo!

Desde de novo que sempre tive atração por tatuagem, muitas pessoas recriminam e falam muito! Porém tenho apenas uma concepção que num vai ser um desenho que vai dizer algo sobre a dignidade da pessoa, pois em Brasília tem muita gente de terno-gravata roubando e sujando a imagem do país então sobre isto prefiro nem comentar! Enfim, está foi a última sprint da minha tatuagem do braço esquerdo, a próxima será o meu maior projeto sobre o assunto! Será o sonho de ter desenhado nas costas a arte da capa do álbum Powerslave do Iron Maiden, abaixo tem um exemplo da arte! Pretendo fazer em breve! ;)

Maori estilizado feito pelo mestre "Andarilho"

Maori estilizado feito pelo mestre "Andarilho"

Um dos principais motivos do meu real interesse pelo Iron Maiden começou primeiro pelas capas dos discos, segundo por influência de meu primo que juntamente com um amigo escutavam muitas bandas do genero entre elas era o Iron. E este com certeza e um dos melhores álbuns na minha opinião, foi o quinto álbum de estúdio da banda lançado em 3 de setembro de 1984, nesta época eu estava apenas com dois anos de idade! O álbum tem sua abertura com “Aces High”, uma canção sobre as lutas aéreas na Segunda Guerra Mundial. Logo depois tem “Two Minutes to Midnight”, composta por Adrian Smith com letras de Bruce, tratando da constante ameaça de uma guerra nuclear que pairava na época. Logo após, uma canção instrumental ao estilo egípcio do álbum, chamado “Losfer Words (Big’ Orra)”. Depois as canções “Flash of the Blade”, “The Duellists” e “Back in the Village”. Segue “Powerslave”, composta apenas por Bruce Dickinson e que trata de temas egípcios e como as pessoas podem ficar “escravas do poder”. Por fim, a “saga” “Rime of the Ancient Mariner”, uma longa canção de treze minutos sobre um homem amaldiçoado por uma sereia da morte. Foi escrita a partir do poema homônimo do poeta romântico inglês do século XVIII, Samuel Taylor Coleridge! Enfim, este será o tema de minha próxima tatoo que espero poder fazer em breve! ;)

Este e um exemplo do próxima tema de minha nova Tatoo! Up the Irons! o/

Este e um exemplo do próxima tema de minha nova Tatoo! Up the Irons! o/

Recentemente adquiri um teclado “HP/Ipaq Bluqetooth Folding Keyboard” conforme imagem abaixo.

kbd-01

kbd-02

Fiz várias pesquisas sobre o teclado e seu funcionamento nos Nokia Internet tablets N8xx e assim como outros inúmeros teclados do gênero ele possui um esquema de mapas diferente sendo incompatível com os esquemas de HID convencionais, foi durante a pesquisa que cheguei a um serviço chamado “kbdd“.

O kbdd e um daemon que funciona na camada de usuário “user-space”, sendo responsável pela comunicação atráves da interface serial (over irda/bluetooth/…) do teclado fazendo o intermedio para a camada de input do kernel utilizando o modulo uinput nativo no Kernel, e assim encaminhando as teclas para o S.O.

Ele foi feito direcionado para plataformas móveis como maemo, openmoko, gpe, entre outros. Pois caso você tenha algum teclado do tipo e o esquema de maps dele seja suportado conforme lista descrita no site do kbdd, basta seguir os passos a seguir!

1) Baixe o código a partir do CVS e compile.

[jpereira@jiraya ~]$ mkdir -p ~/tmp/kbdd
[jpereira@jiraya ~]$ cd ~/tmp/kbdd/
[jpereira@jiraya kbdd]$ export CVSROOT=":pserver:anoncvs@anoncvs.handhelds.org:/cvs"
[jpereira@jiraya kbdd]$ cvs login
Logging in to :pserver:anoncvs@anoncvs.handhelds.org:2401/cvs
CVS password: anoncvs
[jpereira@jiraya kbdd]$ cvs co apps/kbdd
[jpereira@jiraya kbdd]$ cd apps/kbdd/
[jpereira@jiraya kbdd]$ make

2) Ative o esquema de “discovery” do teclado, e no Linux inicie a busca pelo dispositivo em seguida atache o endereço MAC do seu teclado bluetooth a uma porta serial e em seguida inicialize o serviço. (Quando pedir a senha do bluetooth, utilize a senha padrão dele “0000”)

[jpereira@jiraya kbdd]$ sudo hcitool scan
Scanning ...
00:0A:3A:06:09:B0       BT-FoldableKB
[jpereira@jiraya kbdd]$ sudo rfcomm bind 0 00:0A:3A:06:09:B0
[jpereira@jiraya kbdd]$ sudo modprobe uinput
[jpereira@jiraya kbdd]$ ./kbdd -p /dev/rfcomm0 -t btfoldable &

OBS: Fiz diversas alterações no kbdd, inclusive adicionei a possibilidade de iniciar o kbdd como daemon, adicionei flag de compilação para o N770, entre outras coisas. Caso queira utilizar a versão alterada basta aplicar este patch. Inclusive conversei  com um dos autores por e-mail que retornou positivamente as melhorias feitas no kbdd, creio que logo mais já vai estar disponível no cvs do projeto tais alterações! Assim que eu receber meu N800 e tiver com tempinho livre vou trabalhar nele para melhorar outras coisas, inclusive a possibilidade de uso do D-bus na comunicação com a parte de input das teclas!

Abaixo segue os passos para caso queira experimentar a versão alterada! :)

[jpereira@jiraya ~]$ mkdir -p ~/tmp/kbdd
[jpereira@jiraya ~]$ cd ~/tmp/kbdd/
[jpereira@jiraya kbdd]$ export CVSROOT=":pserver:anoncvs@anoncvs.handhelds.org:/cvs"
[jpereira@jiraya kbdd]$ cvs login
Logging in to :pserver:anoncvs@anoncvs.handhelds.org:2401/cvs
CVS password: anoncvs
[jpereira@jiraya kbdd]$ cvs co apps/kbdd
[jpereira@jiraya kbdd]$ cd apps/kbdd/
[jpereira@jiraya kbdd]$ wget http://blog.jorgepereira.com.br/wp-content/dist/patchs/kbdd-jorgepereira.patch
[jpereira@jiraya kbdd]$ patch -p0 < kbdd-jorgepereira.patch
[jpereira@jiraya kbdd]$ make HAVE_FORK=1
[jpereira@jiraya kbdd]$ ./kbdd -p /dev/rfcomm0 -t btfoldable -b

Desde quando tive meu primeiro contato com o Linux entre 96 e 97 em que utilizava o Slackware 3.0 como primeira distribuição Linux seguida do RedHat, Mandrake, Conectiva e ficando até os dias de hoje somente entre Debian conseqüentemente  migrando para o Ubuntu. Fui armazenando e chegando a conclusão que minha casa virou um cemitério de CD’s de distribuições antigas, organizando minha bagunça a alguns dias atrás re-encontrei um porta cd repleto com aproximadamente 200 cd’s contendo distribuições Linux, pois naquela época só existia conexão discada e era uma tarefa nada agradável fazer download de uma ISO contendo em média 650Mb ~ 700Mb.

Entre a coleção de velharia eu encontrei a “Revista do Linux” (Edição 1° – 1999) guardadinha sem nenhum amasso acompanhada de mais diversas edições, assim como tantas outras edições “PC Master”. Essas revistas eram a agrande salvação pois sempre acompanhava uma distribuições diferente a cada edição!

Revista do Linux - Edição 01 1999 – Edição 1°  da “Revista do Linux”

Primeira edição da "Linux Actual"1998 – Edição 1° da revista Portuguesa “Linux Actual”.

Old Distros...Mídias do Fedora Core 1, RedHat 6.0/6.2, Ubuntu 4.10 (Primeira versão) e o Debian 2.rc2

Conectiva 5.0Mídia original do “Conectiva Linux 5.0”

Lembro que no inicio de tudo quando resolvi aprender sobre Linux foi necessário muitas madrugadas… muita ralação para aprender sobre particionamento, utilização do fips, problemas com gerenciamento de memória, lembro que fiquei por volta de dois meses somente usando o terminal pois não existia driver para minha placa de video sis650, sem esquecer das várias brigas com o modem hsp56 pctel para tentar entrar na internet, etc…etc… depois de tudo isso chego a conclusão que estou ficando velho ou tempo que passou muito rápido?

Abraços! :P